Logo



Facebook     Twitter     Skype     Linkedin     Youtube     Picasa     RSS

 
Google+ VocĆŖ estĆ” em: Inicial > publicacao > artigo > ver.php

ļ»æ


Artigo




24/10/2017 Ć s 18:33:20

Psico-USF Ć© um veĆ­culo de divulgaĆ§Ć£o e debate da produĆ§Ć£o cientĆ­fica na Ć”rea da Psicologia



Revista Psico-USF

 

Publicação de Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia
versão On-line ISSN 2175-3563

 

Missão

O propósito da revista é servir de fórum para a apresentação de pesquisas atuais no campo da Psicologia e como um veículo de disseminação de informação aos profissionais do campo e interessados.

 

Psico-USF é um veículo de divulgação e debate da produção científica na área da Psicologia e está vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco sob a responsabilidade do editor Rodolfo Augusto Matteo Ambiel e dos editores associados Ana Paula Porto Noronha e Lucas de Francisco Carvalho. Criada em 1996, a Psico-USF vem aprimorar a tradição já existente na Universidade São Francisco que desde 1974 divulga produções da área da psicologia na forma de periódicos. A primeira fase da revista recebeu o nome de Klínica (1974-1982), depois passou a ser chamada de Revista das Faculdades Franciscanas (1983-1984) e após um ano mudou o nome para Revista de Psicologia (1985-1989). Durante cinco anos (1990 a 1995) a revista ficou suspensa e a partir de 1996 surge a Psico-USF com o propósito de servir de fórum para a apresentação e disseminação de pesquisas atuais no campo da Psicologia.

O título abreviado do periódico é Psico-USF (Impr.), que deve ser usado em bibliografias, notas de rodapé, referências e legendas bibliográficas.
 

 

Editor-chefe

Escopo e política

 

I - Linha Editorial e Critérios de Arbitragem

A Psico-USF é um periódico que visa promover o debate da produção científica na área da Psicologia, possibilitando-lhe mais visibilidade. Está vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia da Universidade São Francisco desde 1996. O propósito da revista é o de servir de fórum para a apresentação e divulgação de pesquisas atuais no campo da Psicologia e como um veículo de disseminação do conhecimento a pesquisadores, profissionais e demais interessados pelo campo. Trabalhos que relatam estudos em áreas relacionadas à Psicologia serão considerados para publicação, incluindo processos básicos, experimentais, aplicados, naturalísticos, etnográficos, históricos, artigos teóricos, análises de políticas e sínteses sistemáticas de pesquisas, entre outros. Também serão consideradas revisões críticas de livros, instrumentos diagnósticos e softwares. Com vistas a estabelecer um intercâmbio entre seus pares e pessoas interessadas em Psicologia, conta com uma revisão às cegas por pares e é publicada quadrimestralmente. Em consequência, os conteúdos não refletem a posição, opinião ou filosofia, nem do Programa de Pós-Graduação nem da Universidade São Francisco. Os direitos autorais das publicações da Psico-USF são da Universidade São Francisco, permitida apenas ao autor a reprodução de seu próprio material, previamente autorizado pelo editor da revista. As transcrições e traduções são permitidas, desde que no limite dos 500 vocábulos e mencionada a fonte. São publicados textos em português, espanhol e inglês.

Este é um periódico de acesso aberto, o que significa que todo o conteúdo está disponível livremente sem taxa para o usuário ou sua instituição. É permitido que os usuários leiam, baixem, copiem, distribuam, imprimam, procurem ou disponibilizem o link dos textos completos dos artigos deste periódico sem pedir permissão prévia para o editor ou para o autor. Isso está de acordo com a definição de acesso aberto do BOAI (Budapeste Open Access Initiative).

II - Descrição dos tipos de colaborações aceitas pela revista Psico-USF

Trabalhos originais relacionados à Psicologia que se enquadrem nas seguintes categorias:

  • Relato de pesquisa: investigação baseada em dados empíricos, utilizando metodologia científica. Limitado a 20-30 laudas, incluindo resumo, abstract, resumen, figuras, tabelas e referências. Subtópicos necessários: Introdução, Método (Participantes, Instrumentos, Procedimentos, Análise de dados), Resultados, Discussão, (ou Resultados e Discussão, em conjunto) e Considerações Finais (optativo). No caso de Resultados e Discussão em um só tópico, as Considerações Finais são obrigatórias. É fundamental que a metodologia e a análise de dados sejam baseadas em estratégias atuais em relação às especificidades de desenvolvimento da área. Na discussão, é fundamental que os resultados sejam amplamente refletidos com base na literatura recuperada para composição da introdução. No mínimo, 50% das referências devem ser atuais, ou seja, até cinco anos da data de submissão.
  • Revisão da literatura: levantamento minimamente sistemático da literatura, que tem como produto uma avaliação crítica do material selecionado. É esperado que os autores: (a) definam claramente um problema; (b) sumarizem investigações prévias para informar o leitor sobre o estado da pesquisa; (c) identifiquem relações, contradições, lacunas e/ou inconsistências na literatura; e (d) sugiram próximos passos de investigação para a resolução dos problemas identificados. É fundamental que a publicação tenha Introdução, Método, Resultados e Discussão (no caso de Resultados e Discussão em um só tópico, as Considerações Finais são obrigatórias); as restrições propostas para o levantamento devem estar justificadas e no mínimo devem cobrir 10 anos, abarcar ao menos três bases de dados de relevância na área do levantamento e incluir o idioma inglês. Além disso, há necessidade de detalhamento dos procedimentos de levantamento utilizados, e estes necessariamente devem ser realizados por pelo menos dois pesquisadores independentes. É também sugerido que na publicação seja apresentado o diagrama de fluxo, tal qual pode ser visualizado e baixado aqui: http://www.prisma-statement.org/PRISMAStatement/FlowDiagram.aspx.
  • Revisão sistemática (seguida ou não por metanálise): são revisões da literatura que seguem métodos científicos os quais explicitamente objetivam diminuir viéses, sintetizando todos os estudos relevantes para responder determinada questão. Nesse caso, necessariamente elementos como estratégias de busca (em detalhe), critérios de elegibilidade, modo de extração de dados, ferramentas e critérios para avaliação da qualidade dos relatos, risco de viés e viés de publicação (este último, no caso da metanálise), devem estar presentes. Além disso, para o caso de metanálise, a análise dos dados deve estar descrita pormenorizadamente. É fundamental que a publicação tenha Introdução, Método, Resultados e Discussão (no caso de Resultados e Discussão em um só tópico, as Considerações Finais são obrigatórias).
  • Nota técnica: descrição de instrumentos e técnicas originais de pesquisa. Limitada a 5 laudas.
  • Resenha: revisão crítica de obra recém-publicada (até 3 anos), orientando o leitor quanto a suas características e usos potenciais. Limitada a 5 laudas.
 

 

Aspectos éticos no processo editorial

 

III - Normas editoriais

As Normas de Publicação da Psico-USF estão baseadas no Publication Manual of the American Psychological Association - APA/ 6a. edição (2010) no tocante à organização e apresentação do manuscrito.

1. Seleção de artigos: o manuscrito que se enquadrar nas categorias acima descritas, segundo análise inicial feita pelo editor, será avaliado. Os critérios de análise referem-se à originalidade, à relevância do tema e à qualidade da metodologia científica, além da adequação às normas editoriais adotadas pela revista.

2. Ineditismo do material: o conteúdo do material enviado para publicação na Psico-USF não pode ter sido publicado anteriormente, nem ter sido ou estar em processo de submissão para publicação em outro periódico. Será feita verificação de conteúdo plagiado, por meio de ferramenta de detecção de plágio e apuração de dados fraudulentos. Tal detecção ocorrerá ao final do processo de avaliação editorial e, independentemente dos resultados apontados nos pareceres, em caso de ocorrência de plágio, o manuscrito será sumariamente reprovado e arquivado.

3. Autores: Todos os autores devem declarar ciência do conteúdo apresentado no artigo bem como confirmar sua veracidade e participação substancial no processo de elaboração do artigo. Os autores devem se disponibilizar a realizar correções de possíveis erros verificados durante o processo de avaliação do manuscrito submetido. Os conteúdos e declarações contidos nos trabalhos são de total responsabilidade dos autores. Os autores são responsáveis por garantir que não há informações no artigo que possam identifica-los. Devem ser respeitados os procedimentos éticos para pesquisas com seres humanos certificando-se, inclusive, da não identificação de participantes ou instituições pesquisadas.

4. Revisão por pareceristas: Os trabalhos enviados serão apreciados pelo Conselho Editorial, que poderá solicitar a análise de membros do Conselho Consultivo ou de Consultores ad hoc, a seu critério, desde que não haja conflito de interesses por parte dos avaliadores. A revisão do artigo é feita de maneira confidencial, preservando a identidade de autor(es) e Consultor(es) ad hoc. Os pareceres são objetivos, críticos e construtivos e visam melhor qualificar a informação científica. O(s) autor(es) receberão uma síntese dos pareceres acerca de seu artigo a qual é de responsabilidade do editor. O artigo poderá ser aceito sem reformulações, aceito com reformulação ou recusado. No caso de aceite com reformulação, será indicado ao(s) autor(es) as alterações solicitadas e o trabalho reformulado deverá ser encaminhado via sistema online no prazo máximo estipulado. O artigo reformulado será reavaliado por um dos consultores para definir se atendeu ao parecer. Em caso de recusa com justificativa explicitada, é incentivada uma nova submissão do artigo, a partir das recomendações do parecer.

5. Editor: O editor declara não ter conflito de interesse sobre os artigos publicados ou rejeitados sendo de sua responsabilidade e autoridade a rejeição ou aceite de artigos. Quando verificado algum erro, promoverá publicações para correção e retratação.

6. Conselho editorial: O conselho editorial se compromete a seguir os aspectos éticos de publicação e na ocorrência de denúncia de falta ética, se responsabiliza por apurar infrações éticas no que tange assuntos relacionados a revista e por fazer retratações, correções e clarificações. Também se compromete a manter a integridade dos registros acadêmicos e dados dos autores e consultores bem como a averiguação de conteúdo fraudulento ou plagiado.

7. Direitos autorais: os direitos autorais dos artigos publicados pertencem à revista Psico-USF. A reprodução total dos artigos desta revista em outras publicações, ou para qualquer outra utilidade, está condicionada à autorização escrita do editor de Psico-USF. Pessoas interessadas em reproduzir parcialmente os artigos desta revista (partes do texto que excederem 500 palavras, tabelas, figuras e outras ilustrações) deverão ter a permissão escrita do(s) autor(es). Manuscritos submetidos que contiverem partes de texto extraídas de outras publicações deverão obedecer aos limites especificados para garantir originalidade do trabalho submetido. Recomenda-se evitar a reprodução de figuras, tabelas e desenhos extraídos de outras publicações e, se não for possível, o manuscrito só será encaminhado para análise se vier acompanhado de permissão escrita do detentor do direito autoral do trabalho original para a reprodução em Psico-USF. Em nenhuma circunstância Psico-USF e os autores citados nos trabalhos publicados nesta revista repassarão direitos assim obtidos.

8. Acesso aberto: todas os artigos publicados pela Psico-USF estão disponíveis gratuitamente para leitura, download e distribuição pelo site www.scielo.br/pusf. Ressalta-se que nenhuma taxa é cobrada de autores para submissão, tramitação e publicação dos manuscritos submetidos.

IV. Forma de apresentação dos manuscritos

Formatação: os artigos devem ser digitados em espaço duplo (incluindo referências), em fonte tipo Times New Roman, tamanho 12, número de páginas apropriado à categoria em que o trabalho se insere, paginados desde a folha de rosto personalizada, a qual receberá número de página 1. A página deverá ser tamanho A4, com formatação de margens superior e inferior de 2,5 cm, esquerda e direita de 3 cm.

A apresentação dos trabalhos deve seguir a seguinte ordem:

  1. Folha de rosto com identificação, contendo:
    1. Título completo em português, inglês e espanhol, não devendo exceder 12 palavras. O título deve ser pertinente, claro e pode ser criativo, informando ao leitor sobre o objetivo do artigo. Não deve incluir nomes de cidades, países ou outras informações geográficas.
    2. Sugestão de título abreviado para cabeçalho no idioma do manuscrito, não devendo exceder 5 palavras.
    3. Nome de cada um dos autores.
    4. Afiliação institucional de cada um dos autores (incluir apenas o nome da universidade e a cidade).
    5. Nota de rodapé opcional com agradecimentos dos autores e informação sobre apoio institucional ou financeiro ao projeto.
    6. Nota de rodapé com endereço postal e eletrônico do autor com quem o leitor do artigo poderá comunicar-se.
    7. Indicação de endereço para correspondência com o editor sobre a tramitação do manuscrito, incluindo telefone (fixo e celular) e endereço eletrônico.
  2. Folha de rosto sem identificação, contendo apenas:
    1. Título completo em português, inglês e espanhol, não devendo exceder 12 palavras. O título deve ser pertinente, claro e pode ser criativo, informando ao leitor sobre o objetivo do artigo. Não deve incluir nomes de cidades, países ou outras informações geográficas.
    2. Sugestão de título abreviado para cabeçalho no idioma do manuscrito, não devendo exceder 5 palavras.
  3. Folha contendo Resumo, em português
    1. O resumo deve ter no máximo 150 palavras para relatos de pesquisa, estudos teóricos e revisões de literatura. Para notas técnicas e resenhas, o resumo não é necessário.
    2. O resumo não precisa incluir informações sobre a literatura da área, nem referências. O objetivo deve ser claro, informando, caso for apropriado, o problema, o método e as hipóteses do estudo. Para os relatos de pesquisa, o método deve oferecer informações breves sobre os participantes, instrumentos e procedimentos especiais utilizados. Apenas os resultados mais importantes, que respondem aos objetivos da pesquisa, devem ser mencionados. O resumo de uma revisão crítica ou de um estudo teórico deve incluir: tópico tratado (em uma frase), objetivo, tese ou construto sob análise do organizador do estudo, fontes usadas (p. ex., observação feita pelo autor, literatura publicada) e conclusões.
    3. Fornecer, após o resumo, 3 a 5 palavras-chave na língua do manuscrito, com iniciais minúsculas e separadas com ponto-e-vírgula. Para utilizar descritores mais adequados, consulte a lista de terminologias BVS-Psi que pode ser acessada pelo link: www.bvs-psi.org.br
  4. Folha contendo Abstract, em inglês, compatível com o texto do resumo
    1. O abstract deve obedecer às mesmas especificações do resumo, seguido de keywords, compatíveis com as palavras-chave.
    2. A revista Psico-USF tem, como procedimento padrão, fazer revisão final do abstract, reservando-se o direito de corrigi-lo, se necessário. Este é um item muito importante de seu trabalho, pois em caso de publicação será disponibilizado em todos os indexadores da revista.
  5. Folha contendo Resumen, em espanhol, compatível com o textodo resumo
    1. O resumen deve obedecer às mesmas especificações do resumo, seguido de palavras-clave, compatíveis com as palavras-chave.
    2. A revista Psico-USF tem, como procedimento padrão, fazer revisão final do resumen, reservando-se o direito de corrigi-lo, se necessário. Este é um item muito importante de seu trabalho, pois em caso de publicação será disponibilizado em todos os indexadores da revista.
  6. Estrutura do texto
    1. Títulos e subtítulos em todas as categorias de trabalho original. O texto deve ter uma organização de reconhecimento fácil, sinalizada por um sistema de títulos e subtítulos que reflitam esta organização. No caso de relatos de pesquisa, o texto deverá, obrigatoriamente, apresentar: introdução, método, resultados e discussão e considerações finais, quando oportuno. Os manuscritos nas demais categorias editoriais deverão apresentar títulos e subtítulos de acordo com o caso.
    2. Notas de rodapé. Devem ser evitadas sempre que possível. No entanto, se não houver outra possibilidade, devem ser indicadas por algarismos arábicos no texto e inserida no rodapé da página em que são indicadas.
    3. Figuras e Tabelas. Os locais sugeridos para inserção de figuras e tabelas deverão ser indicados no texto e as mesmas deverão ser apresentadas após as Referências, uma por página. As palavras Figuras e Tabelas, que aparecem no texto, devem, sempre, ser escritas com a primeira letra em maiúscula e devem vir acompanhadas do número respectivo ao qual se referem. As normas não incluem a denominação Quadros ou Gráficos, apenas Tabelas e Figuras.
    4. Citações dos autores. As citações de autores deverão ser feitas de acordo com as normas da APA, 6a. edição, exemplificadas no item V. Todos os nomes de autores, cujos trabalhos forem citados, devem ser seguidos da data da publicação, na primeira vez que forem citados em cada parágrafo. No caso de transcrição na íntegra de um texto, ela deve ser delimitada por aspas, e a citação do autor deve ser seguida do número da página citada. Uma citação literal com 40 ou mais palavras deve ser apresentada em bloco próprio, começando em nova linha, com recuo de 5 espaços da margem, na posição de um novo parágrafo. O tamanho da fonte deve ser 12, como no restante do texto. Não use comandos como negrito ou itálicos nesta seção. Os grifos devem ser sublinhados.
    5. A Psico-USF recomenda que os autores revisem seu texto, observando ligações entre as seções e os subtítulos utilizados. Parágrafos de frase única devem ser evitados, pois fragmentam o texto. Salienta-se que o(s) objetivo(s) do estudo deve(m) ser claramente explicitado(s). Apenas as obras consultadas e mencionadas no texto devem aparecer na seção de referências.
  7. Anexos: Os anexos devem ser apresentados em uma nova página, após as referências, e numerados consecutivamente. Devem ser indicados no texto, identificados por números (1, 2, 3, e assim por diante) e intitulados adequadamente. Utilize anexos se isso for realmente imprescindível para a compreensão do texto.
  8. Figuras: Devem ser apresentadas com as respectivas legendas e títulos, uma por página. Os títulos devem ser apresentados abaixo das figuras, sempre em letras minúsculas. Para assegurar qualidade de reprodução, as figuras contendo desenho deverão ser encaminhadas em qualidade para fotografia. Não produza figuras gráficas com cores ou padrões rebuscados que possam ser confundidos entre si, quando da editoração da revista. Como a versão publicada não poderá exceder a largura de 8,3 cm para figuras simples e de 17,5 para figuras complexas, o autor deverá cuidar para que as legendas mantenham qualidade de leitura, caso a redução seja necessária.
  9. Tabelas: Devem ser preferencialmente elaboradas no MSWord e apresentadas em preto-e-branco. Os títulos das tabelas deverão ser colocados no alto das mesmas, e devem indicar o conteúdo em até 15 palavras. A primeira letra de cada palavra do título das tabelas deve ser escrita em letra maiúscula, e as demais letras devem ser minúsculas. Não utilize letras maiúsculas, negritos ou itálicos dentro da tabela, que não deve exceder 17,5 cm de largura por 23,5 cm de comprimento.
  10. Notas sobre o(s) autor(es): Incluir uma breve descrição (aproximadamente 60) sobre as atividades atuais do(s) autor(es) e sobre a sua formação, incluindo endereço postal e eletrônico de um dos autores para contato.

V -Listas de Referências

Inicie uma nova página para a seção de referências. Utilize espaço duplo e não deixe espaço entre as cita ções. As referências devem ser citadas em ordem alfabética, pelo sobrenome dos autores, que não deve ser substituído por traços ou travessões. As referências devem aparecer segundo as orientações da Publication Manual of the American Psychological Association - APA/ 6a. ediçã (2010). Os exemplos apresentados indicam como organizar as citações e referências do manuscrito.

Exemplos de Citações no texto

Textos de autoria múltipla:

Dois autores: cite os dois nomes sempre que a obra for referida no texto e acompanhada da data entre parênteses. Use & quando citado entre parênteses (conforme exemplo abaixo),

"O método proposto por Siqueland e Delucia (1969)", mas "o método foi inicialmente proposto para o estudo da visão (Siqueland & Delucia, 1969)".

Três a cinco autores: cite todos os autores na primeira referência, separados por vírgulas seguido da data do estudo entre parênteses. A partir da segunda referência, utilizar o sobrenome do primeiro autor seguido de "et al." e da data. Utilizar & entre o penúltimo e último nome quando citado entre parênteses.

Seis ou mais autores: cite apenas o sobrenome do primeiro autor, seguido de "et al." e da data.

Citações de obras antigas e reeditadas

Citar o autor e as datas de publicação original/consultada. Por exemplo: Freud (1911/1972).

Citações secundárias - evitar ao máximo o uso

Quando se cita um autor a partir de outra publicação consultada, sem que o original tenha sido utilizado. Por exemplo: Lipowiski (1984, citado por Silva & Müller, 2007)...

Nas referências deve-se citar apenas a obra consultada (conforme exemplo abaixo),

Silva, J. D. T., & Müller, M. C. (2007). Uma integração teórica entre psicossomática, stress e doenças crônicas de pele. Estudos de Psicologia (Campinas), 24(2), 247-256. doi: 10.1590/S0103-166X2007000200011

Exemplos de Referências

Artigo de revista científica com doi:

Turner, R. J., & Lloyd, D. A. (1999). The stress process and the social distribution of depression. Journal of Health and Social Behavior, 40(4), 374-405. doi:10.2307/2676332

Artigo de revista científica sem doi:

Sillick, T. J., & Schutte, N. S. (2006). Emotional intelligence and self-esteem mediate between perceived early parental love and adult happiness. E-Journal of Applied Psychology, 2(2), 38-48. Recuperado de: http://ojs.lib.swin.edu.au/index.php/ejap

Light, M. A., Light, I. H. (2008). The geographic expansion of Mexican immigration in the United States and its implications for local law enforcement. Law enforcement Executive Forum Journal, 8(1), 73-82.

Artigo de revista científica no prelo:

Indicar, no lugar da data, que o artigo está no prelo. Incluir o nome do periódico em itálico, após o título do artigo. Não referir data e número do volume, fascículo ou páginas até que o artigo seja publicado. No texto, citar o artigo indicando, entre parênteses, que está no prelo.

Barreta, J. P. F. (no prelo). O complexo de édipo em Winnicott e Lacan. Psicologia USP.

Livro com autoria única:

Barros, L. (2003). Psicologia pediátrica: Perspectiva desenvolvimentista. Lisboa: Climepsi.

Livro organizado por editor:

Pinto, A. M., & Silva, A. L. (Eds.). (2005). Stress e bem-estar: Modelos e domínios de aplicação. Lisboa: Climepsi.

Capítulo de livro:

Weiner, H. (1985). The concept of stress in the light of studies on disasters, unemployment and loss: A critical analysis. Em M. R. Zales (Ed.), Stress in health and disease (pp. 24-30). New York: Brunner/Mazel.

Trabalho apresentado em congresso, mas não publicado:

Martins, R. C. (2007). Processo de resiliência após abuso sexual. Trabalho apresentado no II Congresso Lationoamericano de Psicologia de La ULAPSI, La Habana, Cuba.

Trabalho apresentado em congresso com resumo publicado em Anais:

Ribeiro, S. A., Koshimizu, C. M., & Gatti, A. L. (2008). Técnicas projetivas: análise da produção científica em periódicos nacionais entre 2000 e 2006. Em: V Encontro da Associação Brasileira de Rorschach e Métodos Projetivos. Anais do V Encontro da Associação Brasileira de Rorschahch e Métodos Projetivos, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil.

Obra antiga e reeditada em data posterior:

Piaget, J. (1973). A linguagem e o pensamento da criança. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura. (Original publicado em 1956).

Teses ou dissertações não-publicadas:

Lopes, A. F. A. (2008). Generalidades e singularidades da doença em família: percepção da qualidade de vida, stress e coping (Dissertação de Mestrado não publicada). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.

Autoria institucional:

American Psychological Association. (2010). Publication manual of the American Psychological Association (6ª ed.). Washington, DC: Autor.

Informações retiradas de site da Internet:

Instituto do emprego e Formação Profissional (1994). Classificação nacional das profissões. Disponível: http://portal.iefp.pt/pls/gov_portal_iefp/docs/PAGE/PORTAL_IEFP_INTERNET/CPROFISSIONAL/CNP/INDICE.PDF

Resumos consultados em indexadores eletrônicos:

Gutierrez, B. A. O., Silva, H. S., Rodrigues, P. H. S., & Andrade, T. B. (2009). Reflexões bioéticas sobre o processo de envelhecimento e o idoso morador de rua [Resumo]. Estudos Interdisciplinares sobre o Envelhecimento, 14(2), 187-205. Disponível: http://newpsi.bvs-psi.org.br/cgi-bin/wxis1660.exe/iah/

VI - Submissão de manuscrito

Os manuscritos devem ser submetidos exclusivamente via sistema online de submissão para o endereço http://submission.scielo.br/index.php/pusf/login.

Roteiro para envio do artigo

Enviar aos editores somente via sistema online de submissão: carta solicitando publicação do trabalho na Psico-USF, que pode ser substituída por texto no campo “comentários” do sistema online de submissão, contendo os nomes de todos os autores; artigo em Times New Roman 12, em arquivo utilizando processador de texto Word. A versão reformulada do artigo, quando houver, deverá ser encaminhada por sistema online especificado e no prazo estipulado acompanhada de uma carta ao editor indicando as reformulações realizadas atendendo ao parecer ou justificando, teórica ou metodologicamente, a manutenção do texto sem alteração.

A carta de solicitação assinada pelo(s) autor(es), explicitando a intenção de submissão ou ressubmissão do trabalho para a publicação deve acompanhar todo e qualquer artigo encaminhado à revista. O(s) autor(es) deve(m) garantir que tenha havido consentimento das pessoas envolvidas nas amostras do trabalho e que sua privacidade bem como os procedimentos éticos para pesquisas com seres humanos tenham sido respeitados. Recomenda-se que os autores considerem o guia ético da APA para direcionar a elaboração de seus manuscritos. É necessário explicitar que, se o artigo for aceito para publicação, os direitos autorais serão cedidos à revista Psico-USF.

 

 

Envio de manuscritos

 

O artigo para publicação na Psico-USF deverá ser enviado via sistema online de submissão, no endereço eletrônico: http://submission.scielo.br/index.php/pusf/login. E-mail para contato e dúvidas: revistapsico@usf.edu.br

Não há taxa para submeter ou publicar na Psico-USF

 

ASSINATURAS

 

 

A revista Psico-USF não realiza assinaturas pois publica apenas a versão online e todos os artigos são disponibilizados gratuitamente. Todos os volumes estão disponíveis e podem ser acessados pela homepage: http://www.usf.edu.br/ppg.

 

 


Instituto Latino Americano de EducaĆ§Ć£o ® 2009-2017. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por MelhorWeb Tecnologia

+55 (21) 3145-1082 / (21) 3502-1747. Rua Conselheiro Lafaiete, 96/402 - Copacabana. CEP: 22081-020 - Rio de Janeiro - RJ.

Sobre o Site



CalendĆ”rio   |   Contato   |   Mapa do Site   |   PolĆ­tica de Privacidade
 
CEI - Centro de Estudos Internacionais